Tu podes tudo, ou melhor, quase tudo

É comum pensarmos demasiado se devemos ou não fazer algo especificamente, mas é raro pensarmos na imensidão de coisas que podemos realmente fazer. Sendo assim, parece que estamos a trocar os papéis do que merece verdadeiramente o nosso foco.

Mas calma, trago uma boa notícia. Se estás a pensar começar a pensar nisso, venho facilitar-te o trabalho. Milan Cvitkovic escreveu um artigo sobre as diferentes coisas que podemos fazer – “Things you’re allowed to do”. Algumas delas são demasiado óbvias, outras podes dar por ti a nunca teres pensado nisso antes.

O limite é subjetivo. E quando pensas que já não há mais nada a acrescentar à lista, há sempre alguma coisa em falta.