Um dia diferente

Hoje foi o meu dia de reset, como disse ontem. Comecei a manhã com a leitura de um livro (algo que não fazia há quatro dias), depois treinei e deixei a tarde para organizar a minha vida.

Durante a tarde organizei o desktop do meu computador, porque, acreditem ou não, ele influencia verdadeiramente a minha capacidade de pensar. Ele reflete a minha mente, e quando se encontra desorganizado e cheio, a minha mente encontra-se igual.

Escrevo isto às 20h da tarde e o que me resta fazer hoje é ver um filme. Ainda não me decidi em qual, mas vou tratar já disso.

Até amanhã.

Dias de reset

Com a correria de dos últimos dias, cheguei à conclusão de que preciso de um dia de reset. Amanhã, domingo, vai ser finalmente esse dia.

Dias de reset ajudam-te a voltares à baseline. Após tudo o que tem acontecido ultimamente, sinto que preciso de restabelecer alguns hábitos e práticas do meu dia-a-dia. Práticas que foram caído em desuso, umas por falta de tempo, outras por falta de prioridade.

Este não é um sentimento raro. Muitas pessoas sentem-se assim. No entanto, poucas identificam esse sentimento. Por isso, identifica-o, tenta restabelecer aquilo que tenhas a restabelecer e segue em frente novamente.

Não sigas por atalhos – PaML #7

Hoje foi um daqueles dias em que acordei, comecei por pegar no Projeto de Investigação e só parei agora, para voltar para a cama. Têm sido dias bastante corridos. Claro, sentado à minha secretária, em casa, mas mesmo assim corridos. Mais ainda porque tenho tomado tentado inconscientemente tomar atalhos e apercebi-me que isso talvez não seja o melhor a ser feito.

Atalhos levam a que cheguemos ao mesmo destino mas de forma mais fácil. Até aí tudo de positivo, no entanto, esses atalhos não nos ensinam tanto quanto os caminhos principais, e é nisso que ficamos a perder. Isto porque o que já poderíamos ter aprendido, ainda não sabemos, e um dia esses atalhos não nos servirão mais.

Os atalhos são certamente benéficos a curto-prazo, mas não devemos pensar assim, devemos ter sempre o olho no futuro. E, analisando bem a situação, eles acabam por ser o percurso mais difícil.

As melhores ideias levam tempo

As melhores coisas são as que demoraram mais a serem construídas, em geral. Claro que existem algumas exceções, mas não nos devemos guiar por elas.

Se queremos algo bem feito, devemos saber que vai demorar tempo. Vai demorar tempo a ter a ideia e a digeri-la. Vai demorar tempo a implementá-la e vai demorar tempo a crescê-la.

Em regra, tudo o que demora mais tempo é mais consistente e seguro. Se queres que algo teu seja bom não apenas hoje como daqui a alguns anos, certifica-te que leves o tempo necessário para isso mesmo.

Sprints de Trabalho – PaML #6

Ontem deitei-me às 3h da manhã para acabar uma parte do Projeto de Investigação. Há muitos meses que não me deitava tão tarde, foi estranho, não vou mentir, na manhã seguinte, hoje, acordei e já ninguém estava em casa. Isto não é de todo usual, mas por vezes, é necessário.

O Projeto está a ir num excelente caminho. Estamos agora a recolher os resultados dos vários treinos que fizemos da rede neuronal e sinto que estou na época dos sprints de trabalho. Épocas super atarefadas em que tentas fazer mais e meter mais horas do que aquelas que costumas meter. Estas alturas também são necessárias, dão sentido de urgência e um foco singular. Pois neste limitado espaço de tempo nada mais importa, só o trabalho.

Penso que nunca me dediquei tanto a um projeto. Até hoje, nunca tive a oportunidade de trabalhar em algo que conseguisse ver crescer durante meses de trabalho, é gratificante. E vai ser ainda mais quando estiver terminado. Olhar para o resultado final e relembrar todos os meses de desafios que o precederam… Não posso esperar!

Tempo para digerir informação

Tal como a comida precisa de ser absorvida para beneficiarmos dos seus nutrientes, a informação precisa de ser digerida para conseguirmos entender e utilizar.

Não nos devemos sentir pressionados por não entendermos algo que acabámos de conhecer. Dá tempo ao tempo. Dá tempo ao teu cérebro processá-la e, quando menos esperares, tudo te será mais familiar e acessível.

Cursos não vendem informação

Toda a informação está disponível na Internet. Seja através de livros, artigos, revistas ou mesmo vídeos, a verdade, é que podemos aprender tudo o que quisermos apenas pesquisando. Agora, a pergunta é: Essa informação está organizada e é de fácil acesso? – Isso não. É por isso que existem cursos, que até costumam ser bastante caros, por sinal.

Os cursos não vendem a informação que ensinam. Eles vendem sim a facilidade de acesso a essa mesma informação. Vendem o ambiente onde a aprendizagem se torna mais fácil, intuitiva e até personalizada, com a ajuda de docentes que estão disponíveis para te tirar dúvidas.

No final das contas, a pergunta que te tens de fazer é: vale a pena o dinheiro pela facilidade? Ou consigo eu gerar essa facilidade a partir daquilo que tenho disponível? A escolha é tua.

Dificuldades que diferenciam

Se nunca houvesse nada para fazer nem responsabilidades para ocupar o nosso tempo, todos os hábitos e compromissos que temos connosco próprios seriam cumpridos facilmente. Por exemplo, é fácil continuar um hábito quando temos todo o tempo do mundo para fazê-lo. No entanto, não é fácil quando esse tempo é limitado.

São os tempos difíceis que mostram quem realmente é consistente e disciplinado. Isso mostra que não é porque essa pessoa tem tempo que faz o que faz, mostra sim que mesmo não tendo tempo, isso aparece feito. É um compromisso, e independentemente do que aconteça durante o dia, se o compromisso foi feito, será cumprido.

Quando as coisas correm mal

Quando as coisas correm mal há que analisar, parar e analisar a situação.

Porque correu mal?
O que fiz para que corresse mal?
O que poderei fazer para que da próxima vez corra melhor?

Errar é normal, errar é humano. São os erros que nos ensinam muito daquilo que sabemos e que ainda vamos saber, e por isso, não há que ter medo deles. Porque no fundo, quem não erra, não aprende.

O poder da música

Música. A música tem um poder difícil de explicar. Altera os nossos sentimentos e emoções como uma droga. E, à semelhança delas, cada uma atua no teu corpo e na tua mente de forma diferente.

O lado positivo é que a música pode ser tomada sem conta nem medida. Assim sempre foi. Assim o é. E assim sempre será.