A influência

A exposição nas redes sociais assemelha-se a um holofote constantemente direcionado pronto para se ligar quando algo é publicado. A diferença é que alguns holofotes têm mais intensidade que outros. Sendo que quanto mais intensos, mais influência têm.

Estes holofotes são importantes tanto para quem cria, como para quem consome. Por um lado é o que te faz dar a conhecer, por outro é dessa forma que os outros te encontram.

Sendo criador e consumidor, o meu objetivo é servir e seguir não tanto a luz mais intensa, mas sim a mais clara.

Erros, erros e mais erros

Engraçado que ontem falei sobre o meu dia de tentativas e hoje foi apenas mais um desses.

Erros, erros e erros, foi com o que me deparei hoje. Ainda não consegui fazer algo que tenho tentado fazer no meu projeto de Investigação para a faculdade, mas amanhã é outro dia de tentativas. Aos poucos os erros vão-se acumulando e diminuem as probabilidades de errar novamente.

Ansioso pelo que amanhã me espera!

Um dia de tentativas

Há dias que são repletos de tentativas, e nada mais que isso. Nada corre bem, nada dá certo. Hoje foi um desses dias. Foi difícil.

No entanto, sei que amanhã vai ser melhor. Hoje falhei tanto, que já eliminei muitos dos erros possíveis. Amanhã vai dar certo.

Este é o mindset para tudo aquilo que se tenta fazer e não se consegue. Falha-se uma e outra vez, aprendendo com os erros e minimizando-os à medida que se tenta, isto para um dia, finalmente, tudo dar certo.

O retorno da consistência

Recentemente, um artista conhecido como Beeple, vendeu um ficheiro JPG por 69 milhões de dólares. Sim, leste bem, 69 milhões de dólares por um ficheiro que tem a mesma extensão que as fotografias que tens no teu computador.

O ficheiro é uma peça artista denominada por “The first 5000 days” e consiste numa junção de todas as imagens que o artista publicou todos os dias, uma em cada dia, desde 2007, online.

Isto faz-me pensar no preço que a consistência nos pode pagar de volta no final.

Isto fez-me pensar no retorno qua a consistência nos pode dar ao fim de um certo período de tempo. Ser consistente não é fácil, requer disciplina, trabalho e muita persistência. E é também por isso que poucos chegam a este nível.

Este é apenas um exemplo disto. Neste caso o retorno foi monetário, mas pode passar por muitas outras coisas: amizades, experiências, histórias, etc, etc.

Por isso, pega em algo que gostes e entra nesta jornada.

O segredo para o progresso

Para se chegar a um nível muito elevado em qualquer que seja a áera, é preciso muitas horas de dedicação, trabalho e paciência. Mas não é esse o segredo para o progresso verdadeiro, o segredo é uma variável que vai ajudar a presença das anteriores. O segredo é o amor pela área.

Por muito que alguém se esforce, mesmo contra vontade, muito dificilmente chegará ao nível de alguém que faz o que faz por gosto. Acredito que hajam casos desses, mas não é esse o ponto central da questão. Não é pelos casos pontuais que devamos retirar algo, mas sim pelos que acontecem uma e outra vez. Porque se assim é, é porque tem uma forte razão por trás.

Quem faz algo por gosto dificilmente o deixa de fazer. Faz o que faz e dificilmente trocaria isso por outra tarefa qualquer. Ajudando a que trabalhe mais que os outros, de forma mais consistente e verdadeira. Por isso, trabalha naquilo que gostas e o conhecimento será apenas uma questão de tempo.

Quanto mais sei, menos sei

Não sei se já falei aqui mas neste momento trabalho no meu projeto de investigação para a Faculdade, centrando-se na no âmbito do processamento de imagens médicas em que utiliza machine learning para melhorar assim a qualidade destas. Como este é um tema relativamente novo para mim, tenho aprendido muito sobre ele nos passados meses. Com isto, tenho tido a sensação de que quanto mais pesquiso e percebo deste mundo, mais tenho para conhecer e aprender.

É engraçado este paradoxo: quanto mais sei, mais me apercebo do tanto que não sei. Acredito que este fenómeno ocorra em tudo, na verdade. Pois é no processo de pesquisa e aprendizagem que novos conceitos, métodos e ferramentas nos aparecem constantemente.

Depois, das duas uma: ou nos amedrontamos com isso, ou, se gostamos mesmo do que fazemos, só nos vai puxar para ir mais além.

Do que se trata a disciplina

A disciplina não significa deixar de viver, significa viver para as coisas certas.

Eu não quero deixar de fazer tudo aquilo que não é necessariamente importante para alcançar os meus objetivos. O que eu quero é conseguir escolher o que fazer e quando fazer. Acredito que há tempo para tudo. Quando é tempo para trabalhar, é para trabalhar. E é aí que a disciplina entra, quero ter a capacidade de escolher o que fazer, sempre.

É isso que é importante para mim. É importante conseguir fazer o que quero e quando quero. Lutando contra todos os estímulos que me rodeiam e escolher sempre o que fazer de forma consciente.

Pergunto-me isto todos os dias

Existe um conjunto de perguntas que me passa pela cabeça todos os dias. Não sei exatamente quais são, escrevo este artigo também para pensar conscientemente nelas, mas sei que moldam quem eu sou. Sei que influenciam muito a forma como eu abordo cada dia.

As perguntas são as seguintes:

Estás a fazer o que gostas?
As tuas ações de hoje alinham-se com quem queres ser amanhã?
Se não fizeres o que é preciso fazer, quem vai fazer por ti?
Quais arrependimentos futuros estás a evitar no presente?
Quem podes ser daqui a uns anos? O que podes fazer hoje para ficares mais perto desse objetivo?
Estás a utilizar o tempo a teu favor?
Estás a utilizar os meios que tens a teu favor?

Acredito que não são todas, mas são das que me consegui lembrar. Se nunca te perguntaste isto, experimenta. Pode ser que te ajude a encontrares-te.

Um elogio sincero

Um gesto subvalorizado.
Um gesto que não custa nada.
Um gesto que pode fazer o dia de alguém.

Elogios são a forma de comunicarmos que alguém está a fazer algo bem. São a forma mais simples de reconhecermos o seu esforço e trabalho. E no entanto, são tantas vezes esquecidos.

Não te esqueças de elogiar. Aproveita este artigo para elogiar alguém que mereça.

Ter amigos com quem contar

O sentimento de ter alguém com que partilhar os bons e maus momentos é impagável. Não temos que suportar sozinhos as desgraças da vida, e também não temos de festejar sozinhos o que a vida nos dá de bom.

Toda a gente precisa de pelo menos uma pessoa com quem contar verdadeiramente. Sabendo que se contares boas notícias ela fica genuinamente feliz por ti e se lhe contares más notícias ela vai sempre levantar-te.

Estas são as melhores pessoas.