E se correr bem?

É estranho como definimos muitas vezes as nossas ações baseado no que poderá correr de mal.

“Se fizer isto o que poderá correr mal? Se fizer aquilo será que acontece aquilo de mal?”
Mas e se correr bem? E se aquilo que estamos prestes a fazer der realmente certo?

Não digo que estar preparado para o pior não seja benéfico porque é. Mas dá-me a sensação que avaliamos muitas situações baseadas naquilo que elas poderão dar de mau, minimizando-as, em vez de olharmos para o que elas poderão trazer de bom. A vida requer riscos, riscos calculados. E se estamos sempre a tentar evitá-los olhando para os possíveis fracassos, também nunca nos vamos encontrar com os possíveis sucessos.