As minhas manhãs

Hoje acordei mais cedo que o costume, eram 6h15 quando me levantei. Isto porque como de tarde vou estar ocupado, tive de arranjar tempo para fazer aquilo que tenho de fazer de manhã. Comecei por ler “O Conde de Monte Cristo” durante meia hora e fui tomar o pequeno almoço ainda não batiam as 7h. Às 7h15, já estava sentado à secretária para começar a minha sessão de escrita diária.

São agora 7h45 e a manhã está a ser de tal forma boa como há muito tempo não era. Ultimamente, costumo acordar por volta das 7h, mas é nos dias que acordo mais cedo que percebo o porquê de gostar tanto das manhãs.

Para além da paz que me traz, acordar de manhã faz-me sentir que tenho vantagem para com os outros que ainda dormem. Como se no final do dia eu tivesse mais horas diárias disponíveis, coisa que não acontece. No entanto, o que acontece definitivamente é o dia ser mais produtivo quando começado da melhor forma. Algo que as manhãs ajudam muito.

Isto são as minhas manhãs. Momentos meus e para trabalhar em mim. Momentos em que não tenho ninguém, só a mim e ao espaço físico que me rodeia. E é por isso também que talvez goste tanto delas. Porque a rotina muitas vezes é vivida em função dos outros e as manhãs permitem-te viver em função de ti.